Loading...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

"O ABORTO" TRAGÉDIA NO ÙTERO


POEMA O ABORTO: TRAGÉDIA NO ÚTERO
(Em 6 partes)





1ª PARTE

Ele é do Ceará... Solto de um grande laço
Que estava a lhe amarrar
— encantada beleza
E as puras a sós ele descobre,
andam com a turma de amantes em Fortaleza...

Ele é do Ceará... E de tanta alegria
Elas pulam como bola de couro
E o ar oferece um clima de paz
Onde acontece um límpido namoro.

Ele é do Ceará... Dois irmãos gêmeos
Ali se desenlaçam de um abraço sem engano
À luz do dia essa cena nós os assistimos
Mas qual dos dois é o Léo? Qual é o Luciano?

Ele é do Ceará... E algumas belas sorriem
Ao fazer das cartas românticas umas fogueirinhas
E ainda finge ter amor pelos seus parceiros
E são convencidas que estão bem certinhas...

E do jeito que está não pode continuar
Facilmente elas encontram clínicas clandestinas
Para abortarem seus fetos e não querem
Nem saber se eles iam ser meninos ou meninas.

Mal e infeliz quem ali naquela hora
Pode sentir naquela clínica a felicidade
Embaixo — o bar... Em cima — o apartamento
E no bar — e na clínica — a gravidade.

Oh! Que brutalidade fazem no útero daquela mulher
Ai que zoada silenciosa lá dentro entoa!
Senhor meu! Ó povo que não tem coração
Que simplesmente interrompem o embrião
De desenvolver-se normalmente numa boa.

Homens da lei! Pedimos aos senhores que punam
Com rigor os criminosos e os vagabundos
E que também desvaneçam as mulheres
Ansiosas pra praticarem o aborto,
Para que elas deixem seus filhos virem ao mundo.

Ajam bem ligeiro! Bem ligeiro! E não deixem mais
Acontecer essas barbáries e impunes covardias
Porque desmanchado é o lar que finge estar numa boa
E os fetos que eram para nascer crianças sadias.

Por que faz assim, gente desordeira?
Por que insiste fazer esta faceta?
Ah! Se eu pudesse levar-lhe ao médico
Antes que esta loucura você cometa.

Não se engane! Não se engane! Dona de desengano
Você que envolve as cegonhas entre as sagas
Não sucumba as pernas pra se envolver neste cambalacho
Não se engane! Não se engane! E se livra desse fracasso.

2ª Parte
Que importava àquela mulher o fruto do seu ventre?
De que jeito ia ser aquela criança e como ia se chamar?
Teria que amá-la e ter tido esperança
Que o tempo traria à hora dela chegar
Deveria ter esperado que à noite passasse a neblina
E devagarzinho embalaria, e daria a mama pra menina.
Como outras mães fazem com os seus bebezinhos mongóis
E um mês depois dão também o mingau de maisena
E toda noite ainda rezam o terço e tiram à novena
Sempre na boa intenção de todos nós.

No futebol poderia entrar em cena
Contratada por grande valor
Há moças que jogam no Barbacena
Com as luvas de jogador.
Vai estudar na França um jovem inteligente
E todo mês manda para mãe um lindo presente
- Que encerra a dor na paixão
E do seu genitor tem bons traços
Que lembra Santos Dumont no espaço
No seu belíssimo e dirigível balão.

E dos brasileiros serenos
Que a vida idônea os aceitou
Bons diplomatas nós queremos
Pelo amor que Deus nos doou
Homens que filhas criaram
Não regaram todo o Saara?
Temos preces que Rui Barbosa
Escreveu quando tirou o chapéu,
Astronautas pisaram na lua clara
Desviaram-se através da NASA
De toas estrelas no céu.

No nono mês um filho brioso que ia nascer no Brasil
Mas no ano setenta aquela mulher o abortou.
E foi justamente no dia 21 de abril
Na hora que em (Vila Rica ao Tiradentes o povo enforcou)
Ele ia ser tão rico de saber, que para os leigos seria a escória.
Saberia tanto, que mudaria o rumo da nossa História.
Porém um falso “ginecologista” o impediu de vir
E um outro rei do gado achava que ia ser o pai do menino
Constrangeu-se tanto que mandou tanger os touros do gramado
E um dos seus vaqueiros muito desconfiado resolveu fugir.
3ª PARTE

Cresce nos braços o censo, ó filho sul-americano!
Aumenta mais, muito mais a contagem do ser humano.
Eu sei que tu já sabes nadar na praia do Arpoador
Olha o que vejo ali... Um quadro de ternuras!
Que vista sensacional... Que lindas criaturas
Com o lema muito especial, ame e seja gentil...
Senhor meu! Senhor meu! Que grande louvor.

Para ouvir o Poeta Valdir Santiago declamar a 4ª PARTE

Era o Tonho super alegre... Dava o laço no fitilho
Enquanto a mulher botava a fantasia no pequeno filho
A filha no portão velho a namorar...

Ringir de ferros... Estalar de beijos...
Com um rapaz que gostava muito de queijo
Mas só comia sem mastigar...

Lindas mulheres segurando os seios
Saudáveis crianças, cujas bocas cheias.
Mamavam nas tetas das mães.

Muitas jovens... Porém despidas, encantadas.
Por um milhão de espectadores admirados
De infância sem mágoa e de muitos fãs.

E tocava a orquestra pra turma da Mônica dançar contente
E o Fantástico urgente
Da Guerra do Golfo anunciava a paz...

Naquela hora o velho pelejava... E o coração se abalava
Ouviam-se gemidos... Depois alguém falava
Esse velho é demais...

Uma princesa na praia pela água rasa passeava
E um garotão vinha lá da areia
E abraçava-a e beijava-a ali!

Ela nem respirava, ele estremecia.
Outro garotão de inveja entristecia
E de frente pra eles xixi fazia!

No entanto o garotão mandava o outro ir embora
Mas ele olhava para aquela senhora
Tão burro ainda queria brigar!

Dizia o Bruno, bastante tenso, vá ligeiro.
Já fez seu mijo, pixote encrenqueiro.
Senão, você pode se borrar!...

E tocava a orquestra novamente e outro da roda dizia:
Você é fantástico garoto decente
Eu sei do que você seria capaz!

E o mijão resolveu sair numa boa
E uma turma gritava lá detrás: desaparece cara de broa
E a princesa dizia: obrigada São Braz.
Aquela mulher arrependida por ter praticado o aborto!
Pediu perdão do próprio pecado seu
Pois ela queria ser realmente torturada
Para pagar o terrível pecado que cometeu...
Ó Amor, porque não acabas.
Com as lisonjas dessa praga
Pelo seu Santo Coração?...
Castos açoitem-me sem piedade
Continuai nas suas castidades
Pelos lares urbanos e do sertão!...

De quem foram aqueles abortados
Que não desfrutam da vida entre nós
Nem puderam sentir-se salvos das luvas
De quem exercitaram a penúria atroz?
De quem são?... Se muitos já enterram
Jogaram logo na pequena vala e nem velaram
E ainda se justificam os safados vulgares
Que durante a transa tanto abusam
E a AIDS está aí nem preservam a miniblusa
E ainda usam a violência nos dias atuais.

Foram dos “amantes” que optaram pelo aborto
Pois as mulheres não deram à luz
Preferiram que os filhos fossem mortos
Antes que eles nascessem nus
Alguns poderiam ser... Ladrões aprisionados
Enquanto outros poderiam ser... Superdotados
E todos queriam nascer
Mais cedo ou mais tarde
O que eles seriam nós iríamos saber
Agora não tem mais jeito, já estão mesmo debaixo do chão.
Sem verem a luz, sem pisarem na areia e sem terem um irmão.

Agora são mulheres atormentadas
Como muitos homens são também
Porque não cederam o direito das vidas sagradas
Muito medo... Muito medo... Eles têm
E fazem inibidos rastros
Por não terem os filhos, perderam os laços.
E não há calma só há lástimas da lua-de-mel
E sem acharem alento em nenhum canto
Não podem representar o Papai Noel.

Para ouvir o poeta Valdir Santiago declamar a continuação da 5ª Parte - 2- tempo
Como é que praticam o aborto ainda
Impedindo alguém de ser feliz
Poderia nascer uma criança linda
E ser um bom ator ou uma boa atriz
Se depois de uma semana
Não manchar de sangue a colcha da cama
Cisma que engravidou naquela transa
... Oh meu! Me conte! Me conte!
...Oh meu! Está com dor na fonte!...
...Oh meu! Eu não vou ter um filho seu.

Depois o material propenso...
Depois gases e uma tesoura só...
Depois um barbante imenso
Bem de parto... Dando um nó...
E a dor, o inchaço, vê-de.
Ai! Quanto é pequeno e verde
E sai pra não mais se ver
Cava um buraco na areia
Passa mal e cambaleia
E enterra o corpo que ia nascer.

Ontem a cena da falsidade
A verdade não se pode ver
Hoje... Cúmulo da deslealdade
Nem tiveram o direito de nascer
Presos na mesma tormenta
— Enferrujada a tesoura atenta
Com as moscas da podridão
E sempre calados pela morte
Mas dançam os que tiveram sorte
Ao som da música com razão.

Ontem a terra era boa
Antes da ingratidão
Nos sonhos que eles voam
Na beleza da imensidão
Hoje... O irmão tem medo profundo
Inédito, acordado, se sente imundo.
Por não o ter querido resgatar...
Sonha sempre com o abortado
E acorda com o choro do enterrado
Que queria nascer pra te amar.
Senhor meu e dos abortados!
Falai-me vós, Senhor meu!
Se retiro-me do meio dessa maldade
Com tanto terror diante dos olhos seus...
Ó Amor, por que não acabas.
Com as lisonjas dessa praga
Pelo seu Santo Coração?
Castos açoitem-me sem piedade!
Continuai nas suas castidades!
Pelos lares urbanos e do sertão!

Existe gente que de parteira se presta
Pra servir com muita ganância e tirania...
E si aceita a propagar-se cobrindo a testa
Num canto escuro com bastante covardia...
Senhor meu! Senhor meu!Mas que parteira é esta
Que imprudente a vida sempre repudia?
Há três milênios!... E ninguém se acusa, rola tanto.
Tanto que o gavião usa o bico em todo canto.

Bote fé meu irmão, que venceremos essa guerra.
Pedimos-te, não vacile e reanime-se com esperança.
Que aí vem o baluarte que à luz do sol espera
E quem não tropeça nessa vinda, sem dúvida alcança.
Jesus é quem nos ilumina, vamos vencer essas trevas.
Nós fomos avisados, pra não usar dois pesos na balança.
Então ganharemos mais essa batalha
Porque não seguiremos nenhum canalha.

Agora resplandece a paz, pois se acabou a farsa.
Então carece dizer logo pra todo mundo
Que o malfeitor levou um grande tombo
E o arco-íris embebeu-se do tal imundo
Mas foi luta demais... Para a eterna vaga
Reanimai-vos porque já temos novo rumo
Andai! E de toda criancinha recém-chegada
Cortai o cordão umbilical e jogai nos mares
E para ver as cores do arco-íris
Abra as portas dos seus lares.

Do primeiro livro: Sensibilidade em gotas – Poesias.
Autor: Poeta Valdir Santiago.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Um traço de vida- Poesias Vivas


Aprecie neste Blog do Santiago as poesias do meu segundo livro,
Com edição esgotada: " Um Traço de Vida-Poesias Vivas" 


Este é o meu quarto livro: 

Edição: Setembro 2011
Quem achar por bem me prestigiar, encontrará
Na Livraria Saraiva, Shopping Center Iguatemi -
 Em Fortaleza - Ceará - Brasil.
Ou pela Internet através dos 
Deposito Banco Itaú Agencia: 8527 Conta corrente 05156-2
Ou pela conta poupança da Caixa Agência - 1560 conta 89443
Envio para o seu endereço Postal.
Com frete incluso custa R$22,00
Se preferir falar comigo ligue 85-86551967. 


Fortaleza-Ceará-Brasil.

 OBS: O SITE KIT NET ESTÁ FORA DO AR POR ESTE MOTIVO OS LINKS DE ÁUDIO NÃO ABREM MAIS.
POESIAS DO SEGUNDO LIVRO: "UM TRAÇO DE VIDA-POESIAS VIVAS"


DEDICATÓRIA

Em, 2003. Nos meus cinqüenta e cinco anos de existência dedico esse segundo trabalho literário, em primeiríssimo lugar a Jesus Cristo.

É
Ele
Quem faz a
Festa dentro
De cada coração
Ofereço-lhe esta seresta
Com amor e gratidão...Fruta
Da poesia, que me inspira já com a
Melodia em forma de canção. É insondável
O seu coração, que abre porta e janelas, pra mostrar só coisas belas, pra sua predileta multidão. Ele é a harmonia,
É a alegria que habita a cidade e o sertão, faz flutuar a
felicidade no
Universo
De cada
cora-
ção.
E em segundo lugar aos meus netinhos:
Bruno Vinícius Santiago Borges, Lílian Andrade Santiago, Raul Santiago Holanda Leite e minha segunda netinha, que nasceu no dia 21de abril de 2003, filha de Avinach Srishand e de Luciene de Fátima Medeiros Santiago, aos pais, e às mães, aos avôs paternos, e maternos,
aos tios e as tias de cada um.
Autor: Poeta Valdir Santiago.


ORAÇÃO AO DIVINO ESPÍRITO SANTO
Ó Espírito Santo, Espírito de Amor e de verdade, autor da santificação de nossas almas, eu vos adoro como o princípio de minha felicidade eterna, muitas graças vos dou.Soberano dispensador dos benefícios que do Céu recebo, e vos invoco como a Fonte das luzes e da fortaleza que me são necessárias para eu conhecer o bem e poder praticá-lo.Espírito de Luz e de fortaleza, iluminai o meu entendimento, fortificai a minha vontade e purificai o meu coração.Regulai todos os meus movimentos, fazei-me dócil a todas as vossas inspirações.Espírito Consolador, aliviai as penas e os trabalhos que me afligem neste vale de lágrimas, dai-me conformidade e paciência para que eu mereça fazer penitências dos meus pecados e gozar na outra vida a luz da eterna Bem-Aventurança. Amém.

(Autor que eu ainda não conheço)


UMA CHAMA ARDENTE


JESUS
ESPÍRITO
SANTO
ÚNICO
SALVADOR.
É o nosso encanto,
Repleto de luz
E digno de todo louvor.
Foi quem morreu
Por nós naquela cruz
Cheio de amor!

Perdoou a todos
Com exceção do traidor.
Mas, para nossa alegria
No terceiro dia...
Em Jerusalém,
Ele ressuscitou
Para o nosso bem.


Desde aquele tempo
Hoje, agora e sempre
Está no coração da gente
É uma chama ardente
Cheia de Amor.

Amor assim em você, em mim,
E nem em todo esse povo
Jamais chegará ao fim
E todo dia aumenta mais nossa alegria
Porque faz o Sol, também nascer de novo.

MOMENTOS DE FÉ
(Jesus disse: João Batista é o Elias que veio)
(Mt. 11 10-14).
Com o poder infinito de Deus,
Todo dia eu amo os irmãos meus.
Com o belíssimo batismo de Jesus,
No dia-a-dia aumenta a minha luz.

Com a benevolência do Espírito Santo,
Eu venço a violência e canto o meu cântico.
Sempre em evidência Ele é o nosso encanto.
Com a grande sabedoria de Salomão,
Eu aprendo tudo e aperto a sua mão.
Com a inimitável e rica paciência de Jó,
Eu venço a solidão e nunca fico só.
Com a magnífica força de Sansão,
Jamais ninguém me derruba no chão.
Com a beleza da integridade de Noé,
Estou sempre firme e permaneço em pé.
Na boa aliança que Deus fez com Davi,
Temos toda confiança e, por conta disso,
Ele com amor nos enviou de novo aqui.
Com a grande e bela disposição de Jacó,
Com a determinação de Isaac e de Abraão,
Também, com a dignidade de José do Egito,
Com a fé em Deus, estamos completamente ricos.

E para dar o nosso grito com a força do amor que temos
Dentro do nosso comprometido e honesto coração,
Levantaremos a bandeira da paz e da libertação.


Autor: Poeta Valdir Santiago.


É JESUS
A minha mente é tão lúcida
Não tenha nenhuma dúvida
Porque é Jesus
Quem me conduz.

Foi Jesus
Quem nos trouxe aqui
É Jesus
Quem nos faz sorrir
É Jesus
Quem nos faz ao trabalho ir.
É Jesus
Quem nos faz do trabalho vir.
É Jesus
Quem nos dá a harmonia
É Jesus
Quem nos dá a alegria
É Jesus
Quem nos dá a felicidade
É JesusQuem nos dá a paz em qualquer idade.
É Jesus
Quem nos faz estar aqui agora
É Jesus
Quem faz a nossa boa segurança
É Jesus
Quem realiza a nossa boa esperança
É Jesus
Quem faz tudo na divina hora.Autor: Poeta Valdir Santiago.

UM REFLEXO DA REALIDADE BRASILEIRA


Senhor presidente
Estás tão contente
Enquanto a pobreza
Vive na tristeza...
E pra passar a fome
não tem pão nem ovo
E o Senhor não quis nem saber
Do sofrimento deste povo
Que lhe elegeu duas vezes chefe da nação.

Veja bem, meu irmão,
Com esse salário de duzentos reais
O trabalhador não agüenta mais
Pois é grande a sua aflição.


Porque o patrão toma o direito do empregado
E acha que não dá pra reajustar o seu salário
E se o funcionário reivindicar
Será mais um trabalhador desempregado.

E dos políticos se ouve
Notícias pela televisão
Que tem deles fazendo falcatruas
E se envolvendo com a corrupção.


Além do mais são muitas balas perdidas
Muitas vidas são ceifadas
Gente morta é escondida
É gente sem vida na calçada.

Pra que tanto crime?
Pra que tanto assalto
À mão armada
Em pleno asfalto?

Muitas crianças estão se prostituindo
Muitas crianças estão sendo drogadas
Para escola elas não estão indo
E a maioria delas abandonadas.

Abandonadas pelos próprios pais
Que vão aos tribunais
Lá todos os dias chegam casais
Pedindo a separação
Porque o salário já mais deu condição.

E por conta das novelas
Na família brasileira
É tanta mãe solteira
E filhas intrigadas com os pais
Porque também o salário não satisfaz.

Nos programas policiais
Nas manchetes de jornais
Não divulgam os nomes
responsáveis principais.

Eles são até elogiados
Recebem troféus e tudo mais
Para induzir a população
No Caminho da perdida ilusão.

E os sem-terra
Estão sempre em guerra
Em busca de um pedacinho de chão
Para fazerem sua plantação.

E os sem-teto
Sem um carinho
Sem um simples afeto...


Da criança ao adulto
Disputam um pequeno espaço
Em baixo do viaduto.


Quando dormem no banco da praça
Chegam uns gaiatos, tocam fogo,
Saem achando graça.

E o seu lençol é uma folha de jornal
quando adoecem morrem
Porque não tem médico
e nem leito suficiente no hospital.

Senhor Presidente,
nos seus oito anos de governo,
O Senhor deixou o nosso país muito mal.
Autor: Poeta Valdir Santiago.


CIDADANIA É PRA QUALQUER IDADE

Quando a gente é jovem
Não tem experiência em carteira
A dificuldade é tamanha e sem escolaridade
Poucos conseguem emprego e muitos fazem besteira.

Quando a gente chega aos quarenta
Aí o desassossego aumenta
Porque já nos consideram velho demais
E acham que até pra trabalhar a gente é incapaz.

Então vamos todos voar alto nas asas da mente
E mergulhar fundo com as nadadeiras da imaginação
Com a finalidade de encontrarmos um remédio eficaz
Que combata todos esses males sociais
Pois estão atacando demais os direitos do cidadão.¨

Autor: Poeta Valdir Santiago.


TUDO PELA ECONOMIA

Vou dizer pro chefe da nação
E pra toda essa gente
Que nossas noites vão ser diferentes
E vamos pagar mais cara a conta desse apagão.

De noite no sol só pensar
Só devem acender a lareira
Nas noites que não tenham a presença das estrelas
E especialmente na ausência do luar.

E como diminuir mais a escuridão
E pra gastar pouco dinheiro
É pavio curto na lamparina, menos gás no candeeiro
E muito ligeiro podem acender o lampião.

Só ligue o rádio, meu irmão,
Se for à pilha, pra ouvir os noticiários
E ficar atualizado dos comentários
Dos bombardeios no Afeganistão
Desligue o freezer, o micro-ondas,
A geladeira e, também a televisão.


Autor: Poeta Valdir Santiago.


NÓDOAS DE LODO

Idoso, adulto, jovem e criança!
Não podem perder a esperança
Porque iriam chorar muito, então.
Correriam rios de lágrimas pelo chão.

Para limpar as nódoas verdes
Que pingam dos nossos pavilhões
Por isso tem gente com fome e com sede
Tanto nas cidades quanto nos sertões.

Pois aconteceu a maior contradição
Por falta de muita competência
Em quatro anos não tiraram a experiência
Não viram isso no claro, agora vão ver na escuridão!

Porém não adianta querer voltar o tempo atrás
Botar o pavio na lamparina e o gás no candeeiro
Esse Presidente quer fazer de besta o povo brasileiro
E outro Presidente assim, nossa gente não quer mais.

Autor: Poeta Valdir Santiago.

Ser Patriota
Terra chamada Brasil
Tu és abençoada por Deus
E nós te amamos bastante
Desde que Cabral te descobriu.

Ah! Se os teus governantes
Não nos enganassem tanto
Então, nos teus quatro cantos
Não aconteceriam casos tão chocantes.
 ano dois mil
Não houvesse mais enganos
Sem dúvidas, comemoraríamos felizes
A festa dos teus quinhentos anos.
Pois, tu és uma terra
Toda linda por natureza
Por cima muito preciosa
E o teu subsolo é cheio de riqueza.


Agora, tu és do Caboraí ao Chui,
Também, até ouro em pó tu nos dá
E quem vem aqui, só para te visitar
Faz é ficar logo apaixonado por ti.

Mas, e o teu filho? Pobre agricultor!…
Esse nunca recebeu nenhuma herança
E ainda só não perdeu a esperança
        Porque por ti está cheio de amor… 
eja bem, pra plantar e pra colher
Ele jamais teve um pedacinho de ti
Pelos governantes é esquecido
Está sempre muito desnutrido
E até agora, não tem nenhuma escola pra ele ir.     


Mas, terra se tu falasses
Para esses governantes
Tu falarias nesse instante
Do jeito que tu estás,
Tão magoada assim.

Dirias com certeza: 

“Vocês não precisam mais
Vender-me para os estrangeiros
Devem é: repartir-me com os brasileiros
Que não têm nenhum pedacinho de mim.”

Bem, como tu não falas, ó terra querida,
E eles sabem, também, que semeamos em ti
O indispensável pão pra nossa vida
Então falaremos por ti:

 “Se te venderem mais ainda,
Ainda mais seremos enganados por esse Presidente
Pois acha que não precisa mais do voto da gente
E faz tempo que ele só pensa no FMI”.


Autor: Poeta Valdir Santiago Santiago.


NÃO VÁ TÃO LONGE EM BUSCA DA PAZ

Não falo só àquela gente que está fora de circulação
Infelizmente falo também para as outras pessoas
E digo a elas que só não estão numa boa
Porque nenhuma delas tem Jesus no coração.

Pois Ele quer que vivamos muito bem
Estejamos sempre contentes
Sejamos felizes eternamente
Mas, só se não fizermos mal a ninguém.

Meu irmão veja bem,
É desse jeito mesmo
Que temos de vivenciar
Só que pra nós nos inovar
Precisamos urgentemente
Conscientizar-nos
Que devemos amar
Uns aos outros também.

Por isso falo dos sentimentos da alma
E também de onde passam os bons pensamentos
E, não só nos momentos de pequenos sofrimentos
Mas, nas horas de grandes tormentos com a
Inteligências saibam encontrar a calma.

Então, meu bom rapaz,
Não vá tão longe
Em busca da paz
Não se esqueça, nem se aborreça
Preste atenção, por favor,
O que se faz aqui,
Aqui mesmo se paga
Não adianta pedir: Me poupe
Nem se maldizer: Ô! Que horror.

O negócio é fazer logo
Por onde desapareça
Do seu coração a implantação dessas pragas:
Do ódio, da vingança e do rancor.

Para encontrar a paz e a felicidade
Desvaneça da mentira, da falsidade,
Da inveja, da ganância, da desonestidade,
Da covardia da traição,
Da ironia da discriminação.

Da violência do desrespeito,
Da prepotência do preconceito,
Do orgulho e do desamor
Para com o irmão.

Não importa a nacionalidade,
A sexualidade, o grau de escolaridade,
A posição na sociedade, a sua idade,
A sua cor nem a sua religião.

O importante é que você tenha Deus
Em primeiro lugar no seu coração,
Aí você se abastecerá da caridade,
Da verdade, da humildade,
Do amor e do perdão.

Só assim então,
Aonde você chegar
Do Sol a luz e o calor
Todo dia você terá.
E no rosto das pessoas
Pelas quais você passar
A todo o momento você verá
Um sincero e belo sorriso desabrochar.

Pela paz e a felicidade
Com muito amor
Cheio de alegria
Durante a noite
E durante o dia
Dentro de você,
Você mesmo encontrar.
Autor: Poeta Valdir Santiago.

JUVENTUDE

Salve! Salve! A juventude
Que ela faça jus à saúde
E também à boa educação,
Para promover a paz e o progresso
Que há muito tempo não fazem sucesso
Dentro da nossa rica nação.

Salve! Salve! A juventude
Que ela alcance a plenitude,
Controle bem a sua emoção
Aproveite a sua boa inteligência,
Desbanque todo tipo de violência
E desmorone logo a corrupção.

Salve! Salve! A juventude
Ela pode até fazer tudo
Com bastante perfeição
Sabe criar um clima de alegria
Sem nenhuma covardia
E com muito amor no coração.

Salve! Salve! A juventude
Que com essa vicissitude
Ela banque a moralização
Por todo esse lindo País
Pro nosso povo ser mais feliz
Antes, durante e depois de cada eleição.

Salve! Salve! A juventude
Que com essa boa atitude
Levante a bandeira da paz e da libertação
Para que os idosos e as crianças
Jamais consigam perder as esperanças
De viverem com dignidade na cidade e no sertão.

Autor: Poeta Valdir Santiago.
TUDO PELA PAZ

Não adianta a alguém você enganar
Não adianta você se corromper
Mais cedo ou mais tarde por isso você vai sofrer
Não adianta sorrir agora, pra depois você chorar.

De que adianta você assaltar?
De que adianta você sequestrar?
De que adianta você violentar?
De que adianta você matar?

Se você não morrer logo
Na prisão você vai se acabar
E na outra vida com certeza
As contas com Deus vai ter que acertar.

Ainda bem que não está tudo dominado,
Pra que isso agora anunciar?
Se cada um vai ter que pagar
Pelo seu próprio pecado.

Saia o quanto antes dessa dominação
Não se deixem mais serem dominados
Precisamos livrar-nos de todos os pecados
Para com Deus vivermos em paz e em comunhão.

Autor: Poeta Valdir Santiago.
TERRA E BOA CONDIÇÃO SÃO A SOLUÇÃO

Sem-terra não temos plantação…
Sem-terra não temos água…
Sem-terra só temos mágoa…
Sem-terra não temos alimentação…

Sem-terra não temos produção…
Sem-terra passamos fome…
Sem-terra não vive o homem…
Sem-terra não temos exportação…

Sem-terra não temos juventude…
Sem-terra não temos educação…
Sem-terra não temos habitação…
Sem-terra não temos saúde…

Sem-terra não dá pra gente viver…
Sem-terra não dá pra gente ter o ar…
Sem o ar não dá pra gente respirar…
Sem respirar não dá pra gente sobreviver…

Veja bem, meu bom rapaz,
Sem-terra só temos guerra
Se não escaparmos precisaremos de terra
Pois sem-terra jamais as almas descansarão em paz.

Autor: Poeta Valdir Santiago.

SEQÜÊNCIA

Em todos os continentes, já se sabe
Que a palavra da verdade
Jamais a gente tem que esconder
Ela é exigida em qualquer idade.

Ela é a preferida e sempre prevalece
E nesta vida, quem vence é o portador
Do sentimento mais sublime que é o amor

Este sentimento se aloja perfeitamente
No universo de quem tem um bom coração
Circula em todas as células, alcança até mente
Penetra no pensamento e favorece boa inspiração.

Esta é a ocasião de se levar uma boa convivência
Mesmo sem muita experiência
Ela dar a seqüência para os momentos de felicidade
Da juventude com a terceira idade.

Autor: Poeta Valdir Santiago.

AME…

Se você tiver o amor
Manterá a honestidade
Será feliz de verdade
Antes, durante e depois do sol se pôr.

Um relacionamento saudável
Não poderá ser uma boa
Entre duas pessoas
Se uma delas for desfavorável.

Quando uma pessoa não quer
A outra não vai abraçá-la
Porque ambas acham que a controvérsia
Vai mais alta e que o amor não pode alcançá-la.

Se o seu próximo é discriminado
É porque em você o amor não está perto
E sendo assim nada fica certo
Por isso sai tudo errado.

Então quem não ama de verdade
Infelizmente não tem amor
E nem pode ser portador
De nenhuma gota de sensibilidade.

Autor: Poeta Valdir Santiago.

CONSEQÜÊNCIA

Por conta do orvalho e da seiva, que brotam nos seres para as vidas,
Os botões desabrocham em flores lindas e perfumadas
Às vezes chegam zonzas as operárias e dessazonadas
Nas escaladas do dia-a-dia constroem favos de mel desinibidas.

Há seu tempo uma pequena galha de uma belíssima planta
Deixou em junho brotar de um lindo ramo, o seu quarto botão
E em fevereiro o fez desabrochá-lo com muita exatidão
Mas o peculiar orgulho desse botão ao lindo ramo não encanta.

Com a ironia e a filustria o quarto botão já desabrochou
Foi muito bem regado, desenvolveu e com cinismo cresceu
Desequilibrou-se do primeiro ramo que o nutriu e com ele rompeu.

E o velho vaso que se mantinha o lindo ramo que o fecundou,
Ao passar do tempo renovou-se com a fé e despedaçá-lo o botão tentou
Não o conseguiu, sem querer o tornou feliz, e se decepcionou.
Autor: Poeta Valdir Santiago.


SEM AMOR NÃO DÁ PRA VIVER

Se você não tiver amor
Dentro do seu coração
Não vai considerar as pessoas
Nem conviver numa boa
Com nenhum dos seus irmãos:

Pois só o amor destrói
Uma insuportável relação
E faz de qualquer um
Um grande herói
Com muita perfeição.

Não dá pra viver
E sentir o prazer
Numa vida sem amor
Sem querer sentir
Daquela fruta o sabor.

Desse jeito
Você perde
Pela vida
O respeito.

Você olha pra dentro de si
Não vê nada, nem dentro
Do seu peito…
Onde deveria ter um coração
Batendo pela vida cheio de emoção.

Aí, você nem se dá conta
Que o amor apronta
E também desaponta…
Pois sem amor
Não se vive não
E sem encontrar
A beleza da vida,
Meu irmão,…

Muitos se tornam ambulantes,
Cabisbaixos sem alegria,
Pelas calçadas perambulantes,
Nem trabalham mais
Para ganhar o pão de cada dia.

Porque uns cheiram cola
Outros usam outras drogas
Noite e dia
E assim a vida vai embora.

E agora?…
E agora?…
E agora?…

Esses que não se dão valor
Eles não têm guarida
Esses que não têm amor
Eles não têm a vida.

Autor: Poeta Valdir Santiago.


SUBMARINO

Mulher, por esses oceanos de mares
Ou por oceanos de pedras que voltam ao pó
Por onde quer que tu navegues
Teu ventre é como um submarino
E nele está a bordo uma tripulante só.

Ela vai ser uma belíssima menina
Que navega nessa nave marinha
Mergulha como um golfinho
Mas tem uma âncora para ancorar
E ela trás um cordão umbilical
E alguém muito especial vem para cortar.

Por enquanto ela não vai embora
A multidão a aplaude sorrindo
Enquanto isso a menina chora
E todos já estão dizendo
Que ela é muito linda.

Autor: Poeta Valdir Santiago.


SÓ MÃE FAZ ISSO…

Mãe é o melhor presente
Que nos dá a natureza
E ela já começa cuidar bem da gente
Logo que da sua gravidez tem certeza.

E assim que a gente nasce
Ela diz: Deixa-me pegar no meu bebê
Chora de tanta alegria
Que quem está perto dá logo pra perceber…

Que ela já se esqueceu da grande dor
Porque no rosto dela já voltou o brilho
Por ter dado a luz a um lindo filho
Que há tempo esperava com muito amor.

E no terceiro dia
Sai voando sem ter asa
Com o bebê a tira-colo
Pra chegar logo em casa.

Quando o bebê começa a chorar
Ela tira um peito e bota pra fora
Encosta a boquinha na teta
E deixa o bebê mamar.

Quando o nenê molha a fralda
Ela está sempre ali
Alegre e dizendo: criança
Você não fez só o xixi.

Quebra a frieza da água
Enxágua e depois enxuga
Bota talco ou óleo Johnson
Troca ligeiro à fralda
E diz: Esse bebê não é sonso
De tão cheiroso não quer dormir.

Ela dá o peito novamente
Bota o menino no berço
E ele abre um olho e fecha o outro
E ela diz: Garoto você é muito inteligente.

Ela faz pra ele uma careta
Envolve-o com uma cobertinha
E na ponta da fraldinha
Ela amarra uma chupeta.

E a canção de ninar,
Que ela começa a cantar, diz
Que o nenê não é besta
E continua a cantarolar.
Autor: Poeta Valdir Santiago.


VIRTUOSO VIOLONISTA

Vai, vem e volta veloz
A varinha verdinha
Violino vermelhinho
Vibrante de viva voz.

Via-se visto o vinolento violonista
Velho visionário no veleiro violeta
Vespertino, visório à vinheta
Velejava em Veneza e de veras era versista.


Velozmente venífluo, e de valedio
Valeu-se do vertedouro vazio
Virtuoso violonista versista de Viena.


Varela verdinha veloz,
Vibra ao vento nas vagas vagarosamente e
Vivencia viva voz.


Autor: Poeta Valdir Santiago.


PELO SEU SORRISO

Eu sei que você sabe que eu sei
Que você não sabe o quanto eu lhe amei
Também eu sei que eu e você
Um pelo outro não dá mais pra sofrer.

Mesmo sem ódio e sem rancor
Sem mágoa e até com muito amor
Mesmo não tendo sido eu nem você
Quem programou desse jeito acontecer.

Eu percebi e você nem viu
No seu aniversário você chorou e também sorriu
Ainda convidou-me para ficar
Dei um jeito e disse: Não posso aceitar.

Eu despedi-me e você de novo sorriu
Porém uma lágrima no meu sapato caiu
E pelo seu sorriso eu percebi
Que é dele que eu preciso, mas não me convenci.

Autor: Poeta Valdir Santiago.



VIDA POR VIDA

Sintonia da minha sintonia
Prazer do meu prazer
Pensamento do meu pensamento
Cantar do meu cantar
Viver do meu viver.

Sincronia da minha sincronia
Luz que não se apaga
Janela que se abre
Porta que não se fecha
Vida que não se acaba.

Simpatia da minha simpatia
Ser do meu ser
Amor do meu amor
Vida da minha vida
Querer do meu querer.

Sentimento do meu sentimento
Calor do meu calor
Frio do meu frio
Alegria da minha alegria
Dor da minha dor.

Incógnita da minha incógnita
Partida da minha partida
Chegada da minha chegada
Adeus ao meu adeus
Na volta da minha ida.

Autor: Poeta Valdir Santiago.



DE SER PARA SER

Pra tudo tem seu tempo
Tempo da transformação
Tempo da reencarnação
Tempo da renovação
Tempo da ressurreição.

Cromossomos
Foi o que nós fomos
Agora somos animais racionais
Que dependemos também dos vegetais.

A menina
É como uma flor em botão
O menino
É como do milho o pendão.

A mulher
É como a rosa
Tão bonita
quanto cheirosa.

O homem
É como cravo
Quando apaixonado
Da mulher se torna escravo.

Autor: Poeta Valdir Santiago.


TEM GENTE…
(Em 5 Partes)

(Parte 1)

Tem gente na terra
Tem gente no mar
Tem gente no espaço
Tem gente no ar…

Tem gente na televisão
Tem gente na piscina
Tem gente na esquina
Tem gente na estação…

Tem gente na rodoviária
Tem gente no cais do porto
Tem gente na estação do metrô
Tem gente no aeroporto…

Tem gente que se levanta
Tem gente que cai
Tem gente que chega
Tem gente que sai…

Tem gente namorando
Tem gente se intrigando
Tem gente se casando
Tem gente se separando…


Tem gente que viaja de trem
Tem gente que viaja de caminhão
Tem gente que viaja de navio
Tem gente que viaja de avião...
(Parte 2)

Tem gente que escreve
Tem gente que lê
Tem gente que não enxerga
Tem gente que vê…

Tem gente que canta
Tem gente que chora
Tem gente que vem
Tem gente que vai embora…

Tem gente muda
Tem gente que grita
Tem gente que ouve
Tem gente surda…

Tem gente que assobia
Tem gente que apita
Tem gente feia
Tem gente bonita…

Tem gente que ama
Tem gente que odeia
Tem gente que se deita na cama
Tem gente que se deita na areia…
Tem gente que faz as pazes
Tem gente que se intriga
Tem gente com tanta fome
Tem gente que enche a barriga...

(Parte 3)
Tem gente que aprende
Tem gente que ensina
Tem gente por baixo
Tem gente por cima…

Tem gente que é formada
Tem gente que é analfabeta
Tem gente que está errada
Tem gente que está certa…

Tem gente que não reza
Tem gente que medita
Tem gente que não crê
Tem gente que acredita…


Tem gente que dá
Tem gente que pede
Tem gente que cheira
Tem gente que fede…
Tem gente que bebe
Tem gente que fuma
Tem gente que joga
Tem gente que funga…
(Parte 4)

Tem gente que rouba
Tem gente que é honesta
Tem gente que não dança
Tem gente que faz a festa...


Tem gente vestida
Tem gente pelada
Tem gente querida
Tem gente desprezada…

Tem gente que é mal-educada
Tem gente que é assistente social
Tem gente que trata a gente bem
Tem gente que trata a gente mal…

Tem gente que não fala com o pai
Tem gente que aceita correção
Tem gente que só fala com os amigos
Tem gente que não tem coração…

Tem gente devagar
Tem gente ligeiro
Tem gente no quarto
Tem gente no banheiro…

Tem gente baixa
Tem gente alta
Tem gente gorda
Tem gente magra…

(Parte 5)

Tem gente que tem tudo

Tem gente que não tem nada
Tem gente que reclama

Tem gente conformada...

Tem gente pobre
Tem gente rica
Tem gente que parte
Tem gente que fica…

Tem gente apresentada
Tem gente escondida
Tem gente que não diz nada
Tem gente que é metida…

Tem gente alegre
Tem gente triste
Tem gente que desvanece
Tem gente que insiste…

Tem gente abortando
Tem gente parindo
Tem gente chorando
Tem gente sorrindo…

Tem gente parado
Tem gente correndo
Tem gente morrendo
Tem gente nascendo…

Tem gente que faz errado
Tem gente que faz direito
Tem gente em toda parte
Tem gente de todo jeito.


Autor: Poeta Valdir Santiago.



RENOVAÇÃO
Não suporto a mentira não
Ela é o sinônimo da falsidade
É o antônimo da verdade
E pra nossa vida é uma negação.

Então minha amável querida
Renovei a minha vida
Aceitei Jesus no meu coração!
Casei-me com a Santa liberdade
Sou amante da verdade
E apaixonado pela razão.

Autor: Poeta Valdir Santiago.


SUBTRAÇÃO DO AMOR
Esse mundo começou num jardim
O amor foi feito lá, com tanto amor
Entre a rosa, o cravo e a flor
Tudo no começo foi feito assim.
Por isso que o amor ainda hoje é assim
Enquanto forem as rosas
E vierem as flores
Ele jamais chegará ao fim.

Eu sou um jardineiro do amor
Onde tiver um jardim
Terão cravos e rosas
E beija-flores apaixonados assim.


LINDA POR DENTRO E POR FORA

É pra essa beleza
Completa da vida
Por dentro e por fora
Que eu peço pra não ir embora.

A beleza só por fora não é tão linda
Porém muita gente tropeça nela ainda
Mas a beleza que vem de dentro
É uma beleza tão pura que limpa o sujo
Até de mal pensamento.
Se você atualmente não é...
Nem por isso pense mal de ninguém
Não seja precipitado
Você ainda poderá ser
Uma pessoa linda por dentro também.

Autor: Poeta Valdir Santiago.

ACORDE PARA A VIDA

Eu quero mostrar-te um mundo
Um mundo que está sempre no meu sonho
nele tem um amor profundo
Tão profundo quanto o seu próprio sono.

Eu quero mostrar-te a vida
A vida que eu imaginei
Capaz de cicatrizar ferida
Ferida que nela eu arranjei.

Eu quero mostrar-te a beleza
De um mundo que não tem maldade
Onde o amor só tem pureza
E nele reside a felicidade.

Então minha querida
Acorde para a vida
Que eu quero mostrar-te
Meu ponto de vista.

Pois eu não quero ser egoísta
De ignorar os seus desejos
Mas veja bem
Que nesse mundo a gente tem
É que viver sem medo…

Sem medo de amar,
Sem medo de querer bem,
Sem medo de acontecer,
Sem medo de encontrar alguém.

Por isso eu digo
Que é em casa que começa a caridade
E que numa vida a dois
Deve ser recíproca a sinceridade.

Porque há momentos de troca
Há momentos de doação
Há momentos de alegria
Há momentos de aflição.

Mas se existir o amor
Conseguiremos suportar a dor
Porque para o erro, o perdão
Foi Deus quem deixou.


E quem disser que não erra
Já está totalmente errado
Esse é também meu ponto de vista
Pra gente sempre viver acordado.


AS LETRAS
Elas formam sílabas
As sílabas formam palavras
Palavras que formam orações
Orações que têm sujeitos
Sujeitos que têm corações
Corações que têm predicados.

Predicados que geram sentimentos
Sentimentos culpáveis
Sentimentos horríveis
Sentimentos louváveis
Sentimentos alegres
Sentimentos agradáveis.

No dia-a-dia entregamos flores
E às vezes recebemos espinhos
Espinhos que causam dores
Dores que destroem ninhos
Ninhos repletos de amores
Amores recheados de carinhos.

São as letras misturadas
Que formam lindas palavras
Palavras que formam versos
Versos que diferem das prosas
Prosas que estão paralelas às trovas
Trovas companheiras dos poetas nas madrugadas.

São as letras misturadas
Que formam o seu nome
Nome que aumenta esta dor
Esta dor cessaria se confirmasse o seu amor.


São as letras misturadas
Que para todas as línguas
Formam palavras dóceis
E palavras amargas.
São as letras misturadas
Que formam lindas palavras
Palavras substantivadas
Palavras adjetivadas.

Palavras ricas e apropriadas
Palavras que são verbos
Verbos que são verdades
Verdades que enriquecem as palavras.
Autor: Poeta Valdir Santiago.


SENHOR JESUS

Nasceste em Belém
Viveste em Jerusalém
Crucificaram-te lá,
e lá ressuscitastes também
Depois de tudo isso,
continua ainda nos
querendo muito bem.

Que o teu amor e o teu poder
Penetrem em cada célula do meu ser
Purifiquem todas elas, primeiramente
A do coração, e na continuação a da minha mente.
Para no dia-a-dia cada vez mais eu amar o meu irmão
Em Cristo Jesus, descendente de Eva e de Adão
Feitos pelas mãos de Deus, no inicio da criação.
E agora sou totalmente teu, meu caríssimo Jesus,
Com a última gota do teu sangue, que pingou naquela cruz
Purificas o meu e clareias a minha estrada com a tua luz.

Da coletânea de poemas do meu segundo livro: Um traço de vida-Poesias vivas. Autor: Poeta Valdir Santiago.

Aguardo visitas, comentários e seguidores nesse blog.
Jesus Cristo nos ama muito, a cada um de nós, a todo o momento. Vida Por Vida!
Por esta razão
Beijos de luz
Por Cristo Jesus
Em cada coração!
Aceite um afetuoso abraço do Poeta Valdir Santiago.Tudo aqui editado e reeditado pelo próprio Poeta.

Este é o meu quarto livro: 


Quem achar por bem me prestigiar, encontrará
Na Livraria Saraiva, Shopping Center Iguatemi - Em Fortaleza - Ceará - Brasil.
Ou pela Internet através dos E-mails: poetavaldirsantiago@hotmail.com
poetavaldirsantiago@globo.com
Com frete incluso custa R$23,00
Deposito Banco Itaú Agencia: 8527 Conta corrente 05156-2
Ou pela conta poupança da Caixa Agência - 1560 conta 89443
Envio para o seu endereço Postal.